Working Paper 392

Monitoring Vulnerability and Impact Diffusion in Financial Networks


Thiago Christiano Silva, Sergio Rubens Stancato de Souza and Benjamin Miranda Tabak


Abstract

In this paper, we propose novel risk-related network measurements to identify the roles that financial institutions play as potential targets or sources of contagion. We derive theoretical properties and provide a clear systemic risk interpretation for the proposed measures. Devised upon the notion of communicability in networks, we introduce the impact susceptibility index, which indicates whether market participants are locally or remotely vulnerable. We show that this index can be used as a financial stability monitoring tool and apply it to analyze the Brazilian financial market. We find that non-banking institutions are potentially remote vulnerable in certain periods, while banking institutions are not susceptible to indirect impacts. To address the perspective of market participants as sources of contagion, we propose the impact diffusion influence index, which captures the potential influence of financial institutions on propagating impacts in the network. We unveil the presence of a portion of non-large banking institutions that is consistently more influential than large banks in potentially diffusing impacts throughout the network. Regarding financial system stability, regulators should identify the entities that play these two roles, as they can render the system more risky.

Resumo

Neste trabalho, propomos novas medidas de rede relacionadas a risco para identificar os papéis de instituições financeiras como potenciais alvos ou origem de contágio. Demonstramos propriedades teóricas e apresentamos interpretações claras dessas medidas, no que se refere a risco sistêmico. Propomos o índice de susceptibilidade a impacto, desenvolvido a partir da noção de comunicabilidade em redes complexas, que indica se participantes da rede são local ou remotamente vulneráveis. Mostramos que esse índice pode ser utilizado como ferramenta de monitoramento da estabilidade financeira e o utilizamos para analisar o mercado financeiro brasileiro, identificando potencial vulnerabilidade remota de instituições não bancárias em certos períodos, ao passo que instituições bancárias não são vulneráveis a impactos indiretos. Para verificar se os participantes da rede são originadores de contágio, propomos o índice de influência de difusão de impacto, que captura a potencial influência de instituições financeiras na propagação de impactos na rede. Identificamos a existência de instituições bancárias de médio e pequeno porte consistentemente mais influentes do que instituições bancárias de grande porte no que se refere ao potencial de difundir impactos na rede. Com relação à estabilidade financeira, supervisores deveriam identificar as entidades que desempenham os dois papéis analisados para obter melhor informação sobre potenciais focos de risco na rede.