Working Paper 391

Network Structure Analysis of the Brazilian Interbank Market


Thiago Christiano Silva, Sergio Rubens Stancato de Souza and Benjamin Miranda Tabak


Abstract

In this paper, we provide a detailed analysis of the roles FIs play within the interbank market using a network-based approach. We investigate how the interbank network evolves with respect to different types of market participants. For this analysis, we employ several well-known complex network measures that extract topological characteristics of the interbank network. We use the weighted clustering coefficient to assess the substitutability of FIs for the lending and borrowing perspectives and find that large banking institutions are counterparties that are easily substitutable. In addition, we verify that the interbank network presents a high disassortative mixing pattern, suggesting that highly connected FIs are frequently connected to others with very few connections. This finding is in line with the fact that interbank networks often show a core-periphery structure. We also investigate the presence of the ``rich-club'' effect on the network and find that it is strongly present in the community comprising the large banking institutions, as they normally form near-clique structures. Since they often play the role of liquidity providers in the interbank market, this interconnectedness effectively endows the network with robustness, as participants that are with liquidity issues can easily substitute counterparties that are liquidity suppliers.

Resumo

Neste trabalho, é realizada uma análise detalhada dos papéis que as instituições financeiras desempenham no mercado interbancário por meio de abordagem em redes. Em especial, o artigo investiga a evolução das características da atuação dos participantes da rede interbancária. Para tanto, são aplicadas várias medidas da teoria de redes complexas que extraem características topológicas da rede interbancária. O coeficiente de clusterização ponderado é utilizado para avaliar a substitutibilidade das instituições financeiras nas posições credora e devedora. Verifica-se que instituições de grande porte são contrapartes facilmente substituíveis. Quanto ao padrão de interconexão, a rede interbancária apresenta fortes traços disassortativos, sugerindo que instituições altamente conectadas frequentemente realizam operações com contrapartes que possuem número pequeno de conexões. Esta evidência corrobora o fato de redes interbancárias possuírem uma estrutura do tipo core-periphery. O trabalho também investiga a existência do efeito “rich-club” na rede. Os resultados mostram que esse efeito está muito presente na comunidade constituída pelas instituições bancárias de grande porte, vez que normalmente elas formam estruturas topológicas similares a cliques. Considerando que essas instituições executam o papel de provedores de liquidez no mercado interbancário, essa forte interconexão contribui para a robustez da rede, pois participantes que apresentam problemas de liquidez podem facilmente substituir suas contrapartes.