BCB - Abstracts

 

Working Paper 378

Macroeconomic and Financial Consequences of the After Crisis Government-Driven Credit Expansion in Brazil


Marco Bonomo, Ricardo Brito and Bruno Martins


Abstract

Government-driven credit had an important role in countervailing private credit crunch in Brazil during the recent financial crisis. However, government credit concessions continued to expand after the economy recovered. This paper investigates some important features of this expansion using a huge repository of loan contracts between banks and firms, composing an unbalanced panel of almost 1 million firms between 2004 and 2012. We show that earmarked funds have been particularly important for sectors intensive in positive social externalities. However, those sectors were not the main beneficiaries of the strong expansion in earmarked credit observed since the crisis. Our results also show that larger, older and less risky firms have benefited most from the government sponsored credit expansion. Additionally, although a higher access to earmarked credit tends to lead to higher leverage, the effect on investment appears to be insignificant for publicly traded firms. Since interest rates on earmarked loans are lower than the market interest rates, firms with higher access to this type of loan tend to lower cost of debt.

Resumo

As operações de crédito público - seja crédito direcionado ou originado em bancos com controle governamental - tiveram um papel importante durante a recente crise financeira, compensando a forte contração observada na oferta de crédito livre dos bancos privados no Brasil. No entanto, as concessões de crédito público continuaram a se expandir mesmo após a recuperação da atividade econômica. Usando uma base de dados composta por empréstimos entre bancos e empresas entre 2004 e 2012, perfazendo um painel desbalanceado com quase 1 milhão de empresas, este artigo investiga algumas características importantes da recente expansão de crédito público no Brasil. Os resultados mostram que o crédito direcionado tem sido importante no financiamento de setores intensivos em externalidade socail. No entanto, esses setores não foram os principais beneficiários da forte expansão do crédito direcionado observado desde a crise de 2008. Os resultados também mostram que as empresas maiores, mais maduras e menos arriscadas foram as maiores beneficiadas pela expansão do crédito público. Além disso, apesar de um maior acesso ao crédito direcionado levar a uma maior alavancagem, o efeito sobre a taxa de investimento não é estatisticamente significativo, ao menos para as empresas de capital aberto. Como as taxas de juros praticadas nos contratos de crédito direcionado são mais baixas do que as taxas de juros de mercado, as empresas com maior acesso a este tipo de empréstimo tendem a reduzir o custo de sua dívida.