Logomarca BCB

BCB - Resumos/Abstracts

 

Working Paper 28

Regras Monetárias e Dinâmica Macroeconômica no Brasil:
Uma Abordagem de Expectativas Racionais*

Marco Antônio Bonomo
Ricardo D. Brito


Resumo

Neste artigo estimamos e simulamos um modelo macroeconômico aberto de expectativas racionais (Batini e Haldane [5]) para a economia brasileira, com o objetivo de identificar as características das regras monetárias ótimas e a dinâmica de curto prazo gerada por elas. Trabalhamos com uma versão forward-looking e uma versão backwar-looking a fim de comparar o desempenho de três parametrizações de regras monetárias, que diferem em relação à variável de inflação: a tradicional regra de Taylor, que se baseia na inflação passada; uma regra que combina inflação e taxa de câmbio real (ver Ball [3]) e uma regra que utiliza previsões de inflação (ver Bank of England [4]). Resolvemos o modelo numericamente e construímos fronteiras eficientes em relação às variâncias do produto e da inflação por simulações estocásticas. Os conjuntos de regras ótimas para as duas versões são qualitativamente distintos. Devido à incerteza quanto ao grau de forward-lookingness sugerimos a escolha das regras pela soma das funções objetivos nas duas versões. Concluímos que as regras escolhidas com base neste critério têm perdas moderadas em relação às regras ótimas, mas previnem perdas maiores que resultariam da escolha da regra com base na versão errada. Finalmente calculamos funções de resposta a impulso dos dois modelos para algumas regras selecionadas, a fim de avaliar como diferentes regras monetárias alteram a dinâmica de curto prazo dos dois modelos.

* Publicado em Revista Brasileira de Economia, Vol. 56, no. 4 (Out-Dez 2002).

Abstract

In this article, we estimate and simulate an open rational expectations macro model for the Brazilian economy. Our goal is to identify the features of optimal monetary rules and their consequences for the model's short-term dynamics. We compare the performance of three parametrizations of the monetary rule that differ with respect to the inflation variable: a Taylor rule, which is based on past inflation; a rule that combines past inflation and real exchange rate (Ball [3]); and a rule based on inflation forecasts (Bank of England [4]). We solve the model numerically and we use stochastic simulations to construct efficient frontiers on the inflation variance and output variance space. The sets of optimal rules for the two versions are qualitatively distinct. Since there is uncertainty about the economy's forward-lookingness, we propose a ranking of rules based on an equal weighted average of each model's objective function. The best-ranked rules according to this criterion have performance moderately inferior to the optimal rules, but prevent much larger losses that would occur when rules are chosen according to the wrong model.

* Published in Revista Brasileira de Economia, Vol. 56, no. 4 (Out-Dez 2002).