Logomarca BCB

BCB - Resumos/Abstracts

 

Working Paper 274

Monetary Policy, Asset Prices and Adaptive Learning


Vicente da Gama Machado


Abstract

Following recent episodes of financial distress, the interaction between monetary policy and asset price fluctuations has gained renewed attention. Here, we assess the role of asset price misalignments in monetary policy in an adaptive learning context. Our model first extends Bullard and Mitra (2002), including an additional role for asset prices. From the point of view of the E-Stability criterion, commonly used in the learning literature, we find that a response to stock prices is not desirable under both a forward expectations policy rule and an interest rate rule responding to contemporaneous values. Heterogeneous beliefs about the dynamics of asset price fluctuations, inflation and the output gap are introduced and we also evaluate an optimal monetary policy rule including a weight on asset prices. Overall we find that the Taylor principle remains important over all interest rate rules analysed and that central banks should act cautiously when considering the introduction of stock prices in monetary policy.

Resumo

Neste artigo contribuímos para o debate sobre a resposta apropriada de política monetária a flutuações de preços de ativos em um contexto de aprendizagem adaptativa. O modelo conta com dois tipos de regras de juros instrumentais como em Bullard e Mitra (2002), porém com um papel adicional para preços de ativos. Do ponto de vista da E-Estabilidade, conclui-se que uma resposta a preços de ativos não é desejável nem com a regra que utiliza expectativas futuras nem com a regra que responde a valores contemporâneos. Crenças heterogêneas a respeito da dinâmica das flutuações de preços de ativos, inflação e hiato do produto são introduzidas. Também é avaliada uma regra de política monetária ótima que inclui um peso para os preços de ativos. De forma geral, conclui-se que o princípio de Taylor é relevante para todas as regras de juros analisadas e que os bancos centrais devem agir com cautela ao considerar a introdução de preços de ativos na política monetária.