Brazil flag

PEDD
Padrão Especial
de Disseminação de Dados

Data da última atualização: 16/12/2013

METADADOS DOS INDICADORES DE SOLIDEZ FINANCEIRA (ISFs)

I. Pessoas de Contato
Principais pessoas de contato para compilação e disseminação dos ISFs
Contato 1Contato 2
Emerson de Carvalho Silva
Banco Central do Brasil
Desig — Departamento de Monitoramento do Sistema Financeiro
Diasf — Divisão de Análise e Consolidação do Monitoramento do SFN
Av. Álvares Cabral, 1605 – 8o andar
Belo Horizonte – MG – Brasil
Telefone : (31) 3253-7028
E-mail : emerson.carvalho@bcb.gov.br
Irineu Hiroshi Yokoo
Banco Central do Brasil
Desig — Departamento de Monitoramento do Sistema Financeiro
Diasf — Divisão de Análise e Consolidação do Monitoramento do SFN
Av. Álvares Cabral, 1605 – 8o andar
Belo Horizonte – MG – Brasil
Telefone : (31) 3253-7129
E-mail : irineu.yokoo@bcb.gov.br

 

II. Periodicidade, Diferenças Conceituais em Relação ao Guia e Fonte de Dados
  Descrição Periodicidade Diferenças conceituais em relação ao guia Fonte de dados
Nível de consistência Diferenças
I001    Patrimônio de referência sobre patrimônio de referência exigido
Trimestral
PC
Brasil é membro do BIS e adota o arcabouço de Basileia III. Ver diferenças das variáveis subjacentes S010 e S020.
Supervisão
S010         Patrimônio de referência
PC
Em relação a Basileia III, há pequenas diferenças na definição de capital:
Os créditos tributários de diferença temporária, investimentos significativos em assemelhadas a instituições financeiras e investimentos em instituições autorizadas pelo Banco Central do Brasil podem representar agregadamente até 15% do Capital Principal após ajustes e individualmente até 10% do Capital Principal antes dos ajustes referidos.
Além disso, investimentos em instrumentos elegíveis a capital complementar ou nível 2 de instituições autorizadas devem ser deduzidos do capital, observado o nível equivalente.
Supervisão
S020         Ativos ponderados pelo risco
PC
O capital requerido pelo Brasil é superior ao padrão internacional e vai durar até 2019 quando se conclui o alinhamento ao padrão será concluído. No caso do risco de crédito, não se emprega ratings externos.
Supervisão
I002    Patrimônio de referência nível 1 sobre ativos ponderados pelo risco
Trimestral
PC
Brasil é membro do BIS e adota o arcabouço de Basileia III. Ver diferenças das variáveis subjacentes S030 e S040.
Supervisão
S030         Patrimônio de referência nível 1
PC
Em relação a Basileia III, há pequenas diferenças na definição de capital:
Os créditos tributários de diferença temporária, investimentos significativos em assemelhadas a instituições financeiras e investimentos em instituições autorizadas pelo Banco Central do Brasil podem representar agregadamente até 15% do Capital Principal após ajustes e individualmente até 10% do Capital Principal antes dos ajustes referidos.
Além disso, investimentos em instrumentos elegíveis a capital complementar ou nível 2 de instituições autorizadas devem ser deduzidos do capital, observado o nível equivalente.
Supervisão
S040         Ativos ponderados pelo risco
PC
O capital requerido pelo Brasil é superior ao padrão internacional e vai durar até 2019 quando se conclui o alinhamento ao padrão será concluído. No caso do risco de crédito, não se emprega ratings externos.
Supervisão
I003    Créditos inadimplentes líquidos de provisão sobre patrimônio líquido
Trimestral
PC
Ver diferenças das variáveis subjacentes S050 e S060.
Supervisão
S050         Créditos inadimplentes líquidos de provisão
PC
Exclui operações compromissadas que não são classificadas como depósitos; Inclui crédito comercial e contas de recebíveis semelhantes; Exclui empréstimos entre instituições financeiras captadoras de depósitos; Inclui juros incorporados de alguns créditos inadimplentes; Parcelas de juros referentes a operações em atraso continuam a ser incluídas no valor do instrumento subjacente registrado no balanço somente até 59 dias de atraso, mas provisões não são criadas ao mesmo tempo para compensar o registro da incorporação de juros atrasados; Provisões totais incluem provisões para créditos inadimplentes e provisões constituídas para outros empréstimos; É possível que empréstimos em atraso há menos de 90 dias estejam sendo considerados como créditos inadimplentes e também é possível que empréstimos em atraso há mais de 90 dias não estejam sendo considerados como créditos inadimplentes. Isto ocorre porque, apesar da regra geral de classificação de créditos como inadimplentes considerar aquelas operações em atraso há mais de 90 dias, outros fatores relacionados à capacidade de pagamento do devedor também são levados em conta na classificação dos créditos como inadimplentes. Bancos têm que estabelecer seus procedimentos próprios de revisão de classificação de créditos de acordo com a orientação do Banco Central que determina o exame da qualidade dos empréstimos para propósitos de classificação.
Supervisão
S060         Patrimônio líquido
PC
Inclui (exclui) qualquer ágio advindo da compra (venda) de participação em empresa controlada ou coligada (ou participação inversa da coligada ou controlada na matriz); somente apropria juros para operações inadimplentes até 60 dias de atraso.
Supervisão
I004    Créditos inadimplentes sobre crédito total
Trimestral
PC
Ver diferenças das variáveis subjacentes S070 e S080.
Supervisão
S070         Créditos inadimplentes
PC
Inclui crédito comercial e contas de recebíveis similares; Exclui empréstimos entre instituições financeiras captadoras de depósitos; Inclui juros incorporados de alguns créditos inadimplentes; Exclui operações compromissadas que não são classificadas como depósitos; Parcelas de juros referentes a operações em atraso continuam a ser incluídas no valor do instrumento subjacente registrado no balanço somente até 59 dias de atraso, mas provisões não são criadas ao mesmo tempo para compensar o registro da incorporação de juros atrasados; É possível que empréstimos em atraso há menos de 90 dias estejam sendo considerados como créditos inadimplentes e também é possível que empréstimos em atraso há mais de 90 dias não estejam sendo considerados como créditos inadimplentes. Isto ocorre porque, apesar da regra geral de classificação de créditos como inadimplentes considerar aquelas operações em atraso há mais de 90 dias, outros fatores relacionados à capacidade de pagamento do devedor também são levados em conta na definição dos créditos inadimplentes. Bancos têm que estabelecer seus procedimentos próprios de revisão de classificação de créditos de acordo com a orientação do Banco Central que determina o exame da qualidade dos empréstimos para propósitos de classificação.
Supervisão
S080         Crédito total
PC
Inclui crédito comercial e contas de recebíveis similares; Exclui empréstimos entre instituições financeiras captadoras de depósitos; Exclui operações compromissadas que não são classificadas como depósitos; Inclui juros incorporados de alguns créditos inadimplentes; Parcelas de juros referentes a operações em atraso continuam a ser incluídas no valor do instrumento subjacente registrado no balanço somente até 59 dias de atraso, mas provisões não são criadas ao mesmo tempo para compensar o registro da incorporação de juros atrasados.
Supervisão
I005    Distribuição setorial do crédito em relação ao crédito total
Trimestral
PC
Ver diferenças das variáveis subjacentes S090 e S100.
Supervisão
S090         Distribuição setorial do crédito
PC
Inclui crédito comercial e contas de recebíveis similares; Exclui operações compromissadas que não são classificadas como depósitos; Inclui juros incorporados de alguns créditos inadimplentes; Parcelas de juros referentes a operações em atraso continuam a ser incluídas no valor do instrumento subjacente registrado no balanço somente até 59 dias de atraso, mas provisões não são criadas ao mesmo tempo para compensar o registro da incorporação de juros atrasados.
Supervisão
S100         Crédito total
PC
Inclui crédito comercial e contas de recebíveis similares; Exclui operações compromissadas que não são classificadas como depósitos; Inclui juros incorporados de alguns créditos inadimplentes; Parcelas de juros referentes a operações em atraso continuam a ser incluídas no valor do instrumento subjacente registrado no balanço somente até 59 dias de atraso, mas provisões não são criadas ao mesmo tempo para compensar o registro da incorporação de juros atrasados.
Supervisão
I006    Retorno sobre o ativo
Trimestral
PC
Ver diferenças das variáveis subjacentes S110 e S120.
Supervisão
S110         Lucro líquido
PC
Refere-se ao lucro líquido depois de tributos sobre o lucro e itens extraordinários (LL). Inclui amortização de ágio decorrente da aquisição de participação em controladas e coligadas. Não inclui ganhos e perdas não realizados em instrumentos financeiros. As despesas dos Instrumentos hibridos de capital e divida reconhecidos como capital principal são deduzidas do lucro (líqudo de efeito fiscal).
Supervisão
S120         Ativos totais
PC
Inclui (exclui) qualquer ágio advindo da compra (venda) de participação em empresa coligada ou controlada (ou participação inversa da coligada ou controlada na matriz). Somente apropria juros para operações com até 60 dias de atraso. São realizadas reclassificações e balanceamentos.
Supervisão
I007    Retorno sobre o patrimônio líquido
Trimestral
PC
Ver diferenças das variáveis subjacentes S130 e S140.
Supervisão
S130         Lucro líquido
PC
Refere-se ao lucro líquido depois de tributos sobre o lucro e itens extraordinários (LL). Inclui amortização de ágio decorrente da aquisição de participação em controladas e coligadas. Não inclui ganhos e perdas não realizados em instrumentos financeiros. As despesas dos Instrumentos hibridos de capital e divida reconhecidos como capital principal são deduzidas do lucro (líqudo de efeito fiscal).
Supervisão
S140         Patrimônio líquido
PC
Inclui (exclui) qualquer ágio advindo da compra (venda) de participação em empresa coligada ou controlada (ou participação inversa da coligada ou controlada na matriz). Reflete os juros apropriados sobre operações inadimplentes até 60 dias de atraso. Instrumentos híbridos de capital e dívida reconhecidos como capital principal são incorporados ao patrimônio líquido para bancos públicos em virtude de sua relevância.
Supervisão
I008    Resultado de intermediação financeira sobre receita bruta
Trimestral
PC
Ver diferenças da variável subjacente S150 e S160.
Supervisão
S150         Resultado de intermediação financeira
PC
Não inclui ganhos e perdas não realizados em instrumentos financeiros. São realizados ajustes sobre valores de instrumentos financeiros utilizados para Hedge de investimentos no exterior para evitar volatilidades não representativas da atividades ordinária de intermediação financeira.
Supervisão
S160         Receita bruta
TC
Inclui algumas linhas de "outras despesas operacionais" (other expenses), não sendo puramente receita bruta. É necessária essa inclusão em virtude de controle de variação cambial e, consequente, inversão de saldos.
Supervisão
I009    Despesas sobre receita bruta
Trimestral
TC
Ver diferenças das variáveis subjacentes S170 e S180.
Supervisão
S170         Despesas
TC
Inclui todas as despesas com pessoal e a maior parte das despesas administrativas. Porém, não inclui algumas "outras despesas operacionais" (partial other expenses), que ja são deduzidas da receita bruta.
Supervisão
S180         Receita bruta
TC
Inclui algumas linhas de "outras despesas operacionais" (other expenses), não sendo puramente receita bruta. É necessária essa inclusão em virtude de controle de variação cambial e, consequente, inversão de saldos.
Supervisão
I010    Ativos líquidos sobre ativos totais
Trimestral
PC
Ver diferenças das variáveis subjacentes S190 e S200.
Ver fontes das variáveis subjacentes S190 e S200.
S190         Ativos líquidos
PC
Inclui títulos líquidos derivados de depósitos em outras instituições financeiras e não inclui títulos privados de alta qualidade (ambos pouco relevantes). Além disso, a definição dos ativos líquidos corresponde ao conceito amplo (broad measure) do guia, restringe-se a um horizonte de realização de 30 dias (21 dias úteis), ao invés dos 90 dias mencionados pelo guia, e é afetada por cenário de estresse, o que não é sugerido pelo guia. Não considera moeda estrangeira.
B3, Selic, Cetip, CVM e IF's
S200         Ativos totais
PC
Inclui (exclui) qualquer ágio advindo da compra (venda) de participação em empresa coligada ou controlada (ou participação inversa da coligada ou controlada na matriz). Somente apropria juros para operações inadimplentes até 60 dias de atraso. São realizadas reclassificações e balanceamentos.
Supervisão
I011    Ativos líquidos sobre passivos de curto prazo
Trimestral
PC
Ver diferenças das variáveis subjacentes S210 e S220.
Ver fontes das variáveis subjacentes S210 e S220.
S210         Ativos líquidos
PC
Inclui títulos líquidos derivados de depósitos em outras instituições financeiras e não inclui títulos privados de alta qualidade (ambos pouco relevantes). Além disso, a definição dos ativos líquidos corresponde ao conceito amplo (broad measure) do guia, restringe-se a um horizonte de realização de 30 dias (21 dias úteis), ao invés dos 90 dias mencionados pelo guia, e é afetada por cenário de estresse, o que não é sugerido pelo guia.Não considera moeda estrangeira.
B3, Selic, Cetip, CVM e IF's
S220         Passivos de curto prazo
PC
São considerados perdas do valor dos ativos por risco de mercado (cenários de estresse) e são considerados os passivos de curto prazo os vincendos em 30 dias ou com possibilidade de resgate. Não são excluídos os depósitos entre deposit-takers.
B3, Selic, Cetip, CVM e IF's
I012    Posição líquida em moeda estrangeira sobre patrimônio líquido
Trimestral
PC
Ver diferenças das variáveis subjacentes S230 e S240.
Supervisão
S230         Posição líquida em moeda estrangeira
PC
Exclui passivos em moeda estrangeira mantidos para compensar efeitos decorrentes de diferenças de tributação entre objeto e instrumento de hedge. Exclui garantias e instrumentos similares, que sejam certamente exigíveis e provavelmente irrecuperáveis.
Supervisão
S240         Patrimônio líquido
PC
Inclui (exclui) qualquer ágio advindo da compra (venda) de participação em empresa controlada ou coligada (ou participação inversa da coligada ou controlada na matriz); somente apropria juros para operações inadimplentes até 60 dias de atraso.
Supervisão

 

III. Cobertura Institucional, Base de Consolidação e Ajustes Intra/Intergrupo
  Descrição Cobertura institucional Base de consolidação Ajustes intragrupo Ajustes intergrupo
Consistência com o guia Explicação Consistência com o guia Base de consolidação usada Consistência com o guia Explicações
I001    Patrimônio de referência sobre ativos ponderados pelo risco
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S010         Patrimônio de referência
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S020         Ativos ponderados pelo risco
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
I002    Patrimônio de referência nível 1 sobre ativos ponderados pelo risco
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S030         Patrimônio de referência nível 1
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S040         Ativos ponderados pelo risco
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
I003    Créditos inadimplentes líquidos de provisão sobre patrimônio líquido
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S050         Créditos inadimplentes líquidos de provisão
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S060         Patrimônio líquido
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
I004    Créditos inadimplentes sobre crédito total
PC
Inclui o BNDES, que não é instituição financeira captadora de depósitos.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S070         Créditos inadimplentes
PC
Inclui o BNDES, que não é instituição financeira captadora de depósitos.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S080         Crédito total
PC
Inclui o BNDES, que não é instituição financeira captadora de depósitos.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
I005    Distribuição setorial do crédito em relação ao crédito total
PC
Inclui o BNDES, que não é instituição financeira captadora de depósitos. Empréstimos concedidos por agências e subsidiárias no exterior estão incluídos.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S090         Distribuição setorial do crédito
PC
Inclui o BNDES, que não é instituição financeira captadora de depósitos. Empréstimos concedidos por agências e subsidiárias no exterior estão incluídos.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S100         Crédito total
PC
Inclui o BNDES, que não é instituição financeira captadora de depósitos. Empréstimos concedidos por agências e subsidiárias no exterior estão incluídos.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
I006    Retorno sobre o ativo
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S110         Lucro líquido
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S120         Ativos totais
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários.Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
I007    Retorno sobre o patrimônio líquido
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários.Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S130         Lucro líquido
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários.Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S140         Patrimônio líquido
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
I008    Resultado de intermediação financeira sobre receita bruta
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S150         Resultado de intermediação financeira
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S160         Receita bruta
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
I009    Despesas sobre receita bruta
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S170         Despesas
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S180         Receita bruta
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
I010    Ativos líquidos sobre ativos totais
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados. bancários.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S190         Ativos líquidos
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados. bancários.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S200         Ativos totais
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
I011    Ativos líquidos sobre passivos de curto prazo
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S210         Ativos líquidos
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários.
TC
DC
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S220         Passivos de curto prazo
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários.
TC
DC
TC
- Não há ajustes intergrupo.
I012    Posição líquida em moeda estrangeira sobre patrimônio líquido
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S230         Posição líquida em moeda estrangeira
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
S240         Patrimônio líquido
PC
Não considera todas as instituições tomadoras de depósito, apenas aquelas que são bancos ou conglomerados bancários. Conglomerado Prudencial a partir de 2015.
TC
CBCSDI
TC
- Não há ajustes intergrupo.
BNDES: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social; CBCSDI: Sigla em inglês para representar dados consolidados das entidades baseadas no país com controle nacional ou estrangeiro, suas subsidiárias e agências externas; PC: Parcialmente consistente; TC: Totalmente consistente.

 

IV. Avaliação, Reconhecimento de Fluxos e Estoques e Taxa de Câmbio
  Descrição Avaliação Posições Taxa de câmbio
Consistência com o guia Explicação Consistência com o guia Explicação Consistência com o guia Explicação
I001    Patrimônio de referência sobre patrimônio de referência exigido
TC
-
TC
-
TC
-
S010         Patrimônio de referência
TC
-
TC
-
TC
-
S010         Patrimônio de referência exigido
TC
-
TC
-
TC
-
I002    Patrimônio de referência nível 1 sobre patrimônio de referência exigido
TC
-
TC
-
TC
-
S030         Patrimônio de referência nível 1
TC
-
TC
-
TC
-
S040         Patrimônio de referência exigido
TC
-
TC
-
TC
-
I003    Créditos inadimplentes líquidos de provisão sobre patrimônio líquido
PC
Passivos negociáveis são avaliados pelo valor histórico.
TC
-
TC
-
S050         Créditos inadimplentes líquidos de provisão
TC
-
TC
-
TC
-
S060         Patrimônio líquido
PC
Passivos negociáveis são avaliados pelo valor histórico.
TC
-
TC
-
I004    Créditos inadimplentes sobre crédito total
TC
-
TC
-
TC
-
S070         Créditos inadimplentes
TC
-
TC
-
TC
-
S080         Crédito total
TC
-
TC
-
TC
-
I005    Distribuição setorial do crédito em relação ao crédito total
TC
-
TC
-
TC
-
S090         Distribuição setorial do crédito
TC
-
TC
-
TC
-
S100         Crédito total
TC
-
TC
-
TC
-
I006    Retorno sobre o ativo
TC
-
TC
-
TC
-
S110         Lucro líquido
TC
-
TC
-
TC
-
S120         Ativos totais
TC
-
TC
-
TC
-
I007    Retorno sobre o patrimônio líquido
PC
Passivos negociáveis são avaliados pelo valor histórico.
TC
-
TC
-
S130         Lucro líquido
TC
-
TC
-
TC
-
S140         Patrimônio líquido
PC
Passivos negociáveis são avaliados pelo valor histórico.
TC
-
TC
-
I008    Resultado de intermediação financeira sobre receita bruta
TC
-
TC
-
TC
-
S150         Resultado de intermediação financeira
TC
-
TC
-
TC
-
S160         Receita bruta
TC
-
TC
-
TC
-
I009    Despesas sobre receita bruta
TC
-
TC
-
TC
-
S170         Despesas
TC
-
TC
-
TC
-
S180         Receita bruta
TC
-
TC
-
TC
-
I010    Ativos líquidos sobre ativos totais
TC
-
TC
-
TC
-
S190         Ativos líquidos
TC
-
TC
-
TC
-
S200         Ativos totais
TC
-
TC
-
TC
-
I011    Ativos líquidos sobre passivos de curto prazo
TC
-
TC
-
TC
-
S210         Ativos líquidos
TC
-
TC
-
TC
-
S220         Passivos de curto prazo
TC
-
TC
-
TC
-
I012    Posição líquida em moeda estrangeira sobre patrimônio líquido
PC
Passivos negociáveis são avaliados pelo valor histórico.
TC
-
TC
-
S230         Posição líquida em moeda estrangeira
PC
Passivos negociáveis são avaliados pelo valor histórico.
TC
-
TC
-
S240         Patrimônio líquido
PC
Passivos negociáveis são avaliados pelo valor histórico.
TC
-
TC
-

 

 
  Descrição Guia Emendas ao Guia
ISFs núcleo para instituições captadoras de depósitos    
I001
S010
S020
   Patrimônio de referência sobre patrimônio de referência exigido
        Patrimônio de referência
        Ativos ponderado pelo risco
Capítulo 6: 6.17-6.18, Apêndice II: 9-11
Capítulo 4: 4.68-4.73
Capítulo 4: 4.74
Emendas 7-8
Emendas 7-8
Emendas 7-8
I002
S030
S040
   Patrimônio de referência nível 1 sobre patrimônio de referência exigido
        Patrimônio de referência nível 1
        Ativos ponderado pelo risco
Capítulo 6: 6.19, Apêndice II: 12-14
Capítulo 4: 4.70
Capítulo 4: 4.74
Emendas 7-8
Emendas 7-8
Emendas 7-8
I003
S050
S060
   Créditos inadimplentes líquidos de provisão sobre patrimônio líquido
        Créditos inadimplentes líquidos de provisão
        Patrimônio líquido
Capítulo 6: 6.22-6.23, Apêndice II: 15-19
Capítulo 4: 4.50, 4.84-4.87
Capítulo 4: 4.62-4.65, 4.68-4.73
Emendas 7-8, 18-21, 25
Emendas 18-21, 25
Emendas 7-8, 18, 20-21
I004
S070
S080
   Créditos inadimplentes sobre crédito total
        Créditos inadimplentes
        Crédito total
Capítulo 6: 6.54-6.55, Apêndice II: 20-24
Capítulo 4: 4.84-4.87
Capítulo 4: 4.45-4.48
Emendas 18-21, 25
Emendas 18-21, 25
Emendas 18-21
I005
S090
S100
   Distribuição setorial do crédito em relação ao crédito total
        Distribuição setorial do crédito
        Crédito total
Capítulo 6: 6.56-6.57, Apêndice II: 25-29
Capítulo 2: 2.4-2.18, Capítulo 3: 3.34-3.43
Capítulo 4: 4.45-4.48
Emendas 18-21
Emendas 18-21
Emendas 18-21
I006
S110
S120
   Retorno sobre o ativo
        Lucro líquido
        Ativos totais
Capítulo 6: 6.52-6.53, Apêndice II: 30-36
Capítulo 4: 4.17-4.35
Capítulo 4: 4.37-4.38, Capítulo 5: 5.91, Capítulo 6: 6.53
Emendas 11-13, 18-21, 26
Emendas 11-13, 26
Emendas 18-21
I007
S130
S140
   Retorno sobre o patrimônio líquido
        Lucro líquido
        Patrimônio líquido
Capítulo 6: 6.25-6.26, Apêndice II: 37-40
Capítulo 4: 4.17-4.35
Capítulo 4: 4.62-4.65, 4.68-4.73, Capítulo 6: 6.26
Emendas 11-13, 18, 20-21, 26
Emendas 11-13, 26
Emendas 7-8, 18, 20-21
I008
S150
S160
   Resultado de intermediação financeira sobre receita bruta
        Resultado de intermediação financeira
        Receita bruta
Capítulo 6: 6.69-6.70, Apêndice II: 41-46
Capítulo 4: 4.17-4.19
Capítulo 4: 4.17-4.29
Emendas 11-13
-
Emendas 11-13
I009
S170
S180
   Despesas sobre receita bruta
        Despesas
        Receita bruta
Capítulo 6: 6.73-6.74, Apêndice II: 47-51
Capítulo 4: 4.30-4.31
Capítulo 4: 4.17-4.29
Emendas 11-13
Emenda 11
Emendas 11-13
I010
S190
S200
   Ativos líquidos sobre ativos totais
        Ativos líquidos
        Ativos totais
Capítulo 6: 6.45-6.46, Apêndice II: 52-58
Capítulo 4: 4.78-4.81
Capítulo 4: 4.37-4.38, Capítulo 5: 5.91
Emendas 18-21, 23
Emenda 23
Emendas 18-21
I011
S210
S220
   Ativos líquidos sobre passivos de curto prazo
        Ativos líquidos
        Passivos de curto prazo
Capítulo 6: 6.47-6.48, Apêndice II: 59-64
Capítulo 4: 4.78-4.81
Capítulo 4: 4.83
Emendas 23-24
Emenda 23
Emenda 24
I012
S230
S240
   Posição líquida em moeda estrangeira sobre patrimônio líquido
        Posição líquida em moeda estrangeira
        Patrimônio líquido
Capítulo 6: 6.31-6.37, Apêndice II: 65-70
Capítulo 4: 4.92; Capítulo 6: 6.31-6.37
Capítulo 4: 4.62-4.65, 4.68-4.73
Emendas 7-8, 16, 18, 20-21, 28
Emenda 16
Emendas 7-8, 18, 20-21, 28

 

VI. Links Externos
  • Indicadores de Solidez Financeira (ISFs): Página Principal (em inglês)
  • Indicadores de Solidez Financeira (ISFs): Conceitos e Definições (em inglês)
  • Indicadores de Solidez Financeira (ISFs): Guia de Compilação (em inglês)
  • Emendas ao Guia de Compilação dos Indicadores de Solidez Financeira (ISFs) (em inglês)