Bandeira do Brasil

PEDD
Padrão Especial de
Disseminação de Dados

Data da última atualização: 03/06/2009

ÍNDICE DE PRODUÇÃO INDUSTRIAL

Dados sobre o Provedor da Categoria

Pessoa para Contato

Flávio Renato Keim Magheli

Instituição

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Coordenação de Indústria
Av. República do Chile, 500, 4º andar - Centro
Rio de Janeiro (RJ) - Brasil
CEP 20.031-170

Número do Telefone

55 21 2142-4512

Número do Fax

55 21 2142-0025

Endereço eletrônico

flavio.magheli@ibge.gov.br

 

Descrição
Dados: Cobertura, Periodicidade e Tempestividade

Características da Cobertura

O Índice de Produção Industrial é divulgado mensalmente e se baseia na Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física, cuja amostra é selecionada com base nas informações da Pesquisa Industrial Anual de Empresa e que cobre 63% do valor da transformação industrial das atividades das indústrias extrativas e de transformação. A amostra é composta de 3.725 unidades locais e 824 produtos.

Os procedimentos de cálculo dos índices nos vários níveis de agregação baseiam-se no método de Laspeyres modificado, sendo a média de 1998/2000 o período de referência para efeito de ponderação. Os índices são publicados segundo a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), compatível com ISIC - REV. 3. Os índices no nível nacional são calculados por ramos de indústria e categorias de uso, e publicados em sua forma original e sazonalmente ajustados (método X-12 ARIMA), enquanto os regionais são publicados somente na sua forma original.

Periodicidade

Mensal

Tempestividade

Defasagem média de quarenta dias após o mês de referência.
Acesso do Público

Divulgação do calendário de publicação

O calendário fornecendo as datas exatas de divulgação com antecipação de um trimestre pode ser encontrado na página do Banco Central do Brasil na Internet (http://www.bcb.gov.br/sddsp/calendar_p.htm) e no IMF’s Data Dissemination Standards Bulletin Board (http://dsbb.imf.org). O calendário de divulgação dos índices, com as datas previstas para todo o ano seguinte, é apresentado ao final do ano no site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ( http://www.ibge.gov.br).

Divulgação simultânea a todas as partes interessadas

Os dados são divulgados simultaneamente a todos os interessados através de: nota para a imprensa, fax, internet em português na seguinte página do IBGE na Internet: http://www.ibge.gov.br.
Integridade

Divulgação dos termos e condições sob as quais as estatísticas oficiais são preparadas, incluindo confidencialidade das respostas individuais

As seguintes leis fornecem o embasamento legal para as funções estatísticas do IBGE:
  1. Lei nº 5.534, de 14 de novembro de 1968 (Lei sobre o fornecimento de dados estatísticos);

  2. Lei nº 5.878, de 11 de maio de 1973 (Lei que cria a Fundação IBGE);

  3. Lei nº 6.183, de 11 de dezembro de 1974 (Lei dos sistemas estatístico e geográfico nacionais);

  4. Decreto nº 73.177, de 20 de novembro de 1973, que regulamenta essas leis;

  5. Decreto nº 74.084,de 20 de maio de 1974, que aprova o Sistema Estatístico Nacional; e

  6. Decreto nº 3.272, de 3 de dezembro de 1999 que aprova a lei orgânica do IBGE.

Essas leis estabelecem o caráter obrigatório de fornecimento de informações ao IBGE e asseguram a preservação da confidencialidade das respostas individuais, que somente podem ser usadas para fins estatísticos. Essa legislação está disponível ao público em português, na página da Internet da Presidência da República, em Pesquisa de Decretos e Leis:
http://www.planalto.gov.br.

De acordo com elas, a disseminação dos dados pelo IBGE é obrigatória e gratuita.

Acesso interno do governo aos dados antes de sua publicação

A Portaria nº 355, de 5 de novembro de 2007, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, determina a liberação dos dados para as autoridades da lista de precedência, às 7 horas do dia da divulgação.

A liberação dos dados para a imprensa e a disponibilização no portal do IBGE na internet ocorrem às 9 horas.

A Portaria e a relação de autoridades da lista de precedência estão disponíveis neste portal: http://www.ibge.gov.br.

Identificação de comentário ministerial na data da divulgação das estatísticas

O comentário analítico que acompanha a divulgação dos índices é inteiramente escrito pelo IBGE, sem comentários de outras áreas ou agências do governo.

Informação sobre revisão e comunicação antecipada de mudanças substanciais na metodologia

Os índices regularmente publicados estão sujeitos à retificação até o primeiro mês do ano precedente ao ano de referência. Esse procedimento é descrito nas notas metodológicas que acompanham a disseminação dos índices.

Os comentários sobre as revisões de natureza metodológica estão incluídos na divulgação periódica dos índices, na forma de notas metodológicas. A última revisão metodológica foi baseada nos resultados da Pesquisa Industrial Anual de Empresa e da Pesquisa Industrial Anual de Produto, para o período 1998/2000. A nova série tem início em janeiro de 2002 e procedeu-se ao encadeamento da série anterior à nova série, a partir de janeiro de 1991.

Qualidade

Divulgação de detalhes, conciliações com os dados relacionados e arcabouços estatísticos que possibilitem cruzamento de dados e assegurem razoabilidade às estatísticas

A descrição dos principais aspectos metodológicos dos índices constitui parte integrante das publicações "Indicadores IBGE – Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física – Brasil" e "Indicadores IBGE – Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física – Regional", disponíveis na Internet no endereço:
ftp://ftp.ibge.gov.br/Industrias_Extrativas_e_de_Transformacao/Pesquisa_Industrial_Mensal_Producao_Fisica/Fasciculos/

A metodologia da nova série de índices está disponível nas Unidades de Documentação e Divulgação em todo o país, cujos endereços podem ser encontrados na Internet:
http://www.ibge.gov.br/home/disseminacao/locaisdeatendimento/default.shtm

Nota metodológica comentando os principais aspectos da nova série de índices de produção industrial está divulgada na Internet:
ftp://ftp.ibge.gov.br/Industrias_Extrativas_e_de_Transformacao/Pesquisa_Industrial_Mensal_Producao_Fisica/Fasciculos/Fasciculo_Indicadores_IBGE_Brasil/

Divulgação de detalhes, conciliações com os dados relacionados e arcabouços estatísticos que possibilitem cruzamento de dados e assegurem razoabilidade às estatísticas

Os índices de produção física por atividade industrial permitem comparações com estatísticas regularmente geradas por entidades empresariais e por outras instituições de pesquisa.

Notas

Página de resumo do plano de observância e transição.

 

Formatos de Divulgação
Em Papel
    Nota para a Imprensa  
    Boletim semanal  
    Boletim mensal  
    Boletim Trimestral  
    Outros  
Em Meio Eletrônico
X   Tabela ou banco de dados on line do País  
  X Endereço na Internet Publicações disponíveis em meio eletrônico:
As publicações "Indicadores IBGE – Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física – Brasil" podem ser obtidas na Internet no endereço:
ftp://ftp.ibge.gov.br/Industrias_Extrativas_e_de_Transformacao/Pesquisa_Industrial_Mensal_Producao_Fisica/Fasciculos/Fasciculo_Indicadores_IBGE_Brasil/

As publicações "Indicadores IBGE – Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física – Regional" podem ser obtidas na Internet no endereço:
ftp://ftp.ibge.gov.br/Industrias_Extrativas_e_de_Transformacao/Pesquisa_Industrial_Mensal_Producao_Fisica/Fasciculos/Fasciculo_Indicadores_IBGE_Regional/

As notas à imprensa, podcast e material de apoio apresentado na coletiva de imprensa estão disponíveis gratuitamente em português e podem ser obtidas na Internet no endereço do canal de comunicação "Sala de Imprensa":
http://saladeimprensa.ibge.gov.br/

Coordenação de Comunicação Social
E-mail: comunica@ibge.gov.br
Telefone: 55 21 2142-4651 / 8787

As séries dos índices de produção industrial, de 1985 até janeiro de 2004, na série baseada no Censo de 1985, e a partir de 1991, na nova série, estão também disponíveis na Internet no endereço: http://www.sidra.ibge.gov.br.
    Disquete:  
    CD ROM  
    Outros  

 

Sumário Metodológico
Arcabouço analítico, conceitos, definições e classificações (incluindo referência a orientações aplicáveis)

A Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Brasil produz indicadores de curto prazo desde a década de 1970 relativos ao comportamento do produto real das indústrias extrativa e de transformação.
A partir de abril de 2004, tem início a divulgação da nova série de índices mensais da produção industrial, elaborados com base na Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF) reformulada. Essa reformulação cumpriu os seguintes objetivos: atualizar a amostra de atividades, produtos e informantes; elaborar uma nova estrutura de ponderação dos índices com base em estatísticas industriais mais recentes; e adotar, na PIM-PF, as novas classificações, de atividades e produtos, usadas pelas demais pesquisas da indústria a partir de 1996.
A série reformulada tem início em janeiro de 2002 e sua implantação não implicou ruptura de séries históricas, uma vez que se encadeou a série anterior, a partir de janeiro de 1991, à nova, nos níveis de atividade, com quatro exceções (Edição, impressão e reprodução de gravações; Máquinas para escritório e equipamentos de informática; Equipamento de instrumentação médico-hospitalar, ópticos e outros; e Diversos), e categorias de uso.
As séries históricas antiga (de janeiro de 1985 até janeiro de 2004) e reformulada (de janeiro de 1991 em diante) podem ser consultadas diretamente no SIDRA.

Abrangência dos dados (cobertura de e.g., unidades institucionais, transações e estoque, commodities, indústrias e áreas geográficas)
Na seleção de produtos e informantes, foi usada amostragem intencional, baseada na variável Valor da Produção de produtos na Pesquisa Industrial Anual de Produto de 1998, de modo a obter uma amostra representativa de ao menos 50% do universo industrial. De acordo com a variável Valor Adicionado do triênio 1998/2000, as coberturas obtidas por unidade geográfica foram as seguintes: Brasil (63 %), Amazonas, 38 produtos (72%), Pará, 23 produtos (73%), Região Nordeste, 162 produtos (62%), Ceará, 62 produtos (61%); Pernambuco, 76 produtos (50%); Bahia, 79 produtos (66%); Minas Gerais, 143 produtos (64%); Espírito Santo, 24 produtos (71%); Rio de Janeiro, 137 produtos (56%); São Paulo, 490 produtos (55%); Paraná, 136 produtos (52%); Santa Catarina, 113 produtos (50%); Rio Grande do Sul, 197 produtos (55%) e Goiás, 49 produtos (46%).
Convenções contábeis (e.g. período de registro, métodos de avaliação)
Os dados são coletados através de questionários eletrônicos no sitio do IBGE (http://www.pim-pf.ibge.gov.br/pimpf) nos primeiros dez dias do mês seguinte ao mês de referência da pesquisa. A informação sobre produção física é analisada para os produtos selecionados, baseada nos registros contábeis das firmas, bem como nas razões para as variações nas quantidades produzidas (maior de 10% e menor de -10%), selecionadas a partir de uma lista de 16 justificativas possíveis. Estes dois últimos itens de informação e os relatórios de consistência gerados pelo sistema são usados no processo de confirmação dos dados de produção física.
Natureza dos dados básicos (e.g., registros administrativos, pesquisas, levantamentos censitários, combinações destes)
Os dados primários são obtidos diretamente das empresas.
Práticas de compilação (e.g., esquemas de ponderação, métodos de imputação, técnicas de balanceamento/verificação)
A base de ponderação número-índice é fixa e tem como referência a estrutura do Valor de Transformação Industrial do triênio 1998/2000 (período base da ponderação da pesquisa). O sistema de ponderação é baseado na relativa importância de cada produto no Valor Adicionado da Indústria Geral. A soma das ponderações dos produtos é igual à ponderação da atividade industrial cuja soma, por sua vez, dá as ponderações usadas nas seções (indústrias extrativas e indústria de transformação), que, quando somadas, totalizam a Indústria Geral. Uma vez que o índice não cobre o universo das atividades e produtos industriais, os pesos dos segmentos e produtos não representados no cálculo foram distribuídos na mesma proporção da relativa importância dos que foram calculados. A fórmula de cálculo usada é uma adaptação do método de Laspeyres, de base fixa encadeada, com atualização da ponderação.
Outros aspectos (e.g., ajustamento sazonal, restrição na divulgação, ano-base, ano de referência, transformação de ano fiscal para ano civil)

Quatro tipos de índices de produção industrial são divulgados mensalmente:

  • Índice base fixa mensal (número-índice): compara a produção do mês de referência do índice com a média mensal produzida no ano base da pesquisa (2002);
  • Índice mensal: compara a produção do mês de referência do índice em relação a igual mês do ano anterior;
  • Índice acumulado no ano: compara a produção acumulada no ano, de janeiro até o mês de referência do índice, em relação a igual período do ano anterior;
  • Índice acumulado nos últimos doze meses: compara a produção acumulada nos últimos 12 meses de referência do índice em relação a igual período imediatamente anterior.

Para o Brasil como um todo, o índice de base fixa mensal ajustado sazonalmente é também divulgado para indústria geral, seções industriais, atividades industriais, e categorias de uso.
Desde junho de 2006, o índice de base fixa mensal ajustado sazonalmente para a indústria geral tem sido divulgado para as regiões e estados. O método X-12 ARIMA é usado para o ajuste sazonal.