Logomarca BCB

Nota explicativa aos quadros do Boletim do Banco Central

 

Capítulo II – Moeda e Crédito

A partir de agosto de 2000
A partir de setembro de 2007


A partir de agosto de 2000

O Conselho Monetário Nacional (CMN), por meio da Resolução 2.682 de 21.12.1999, promoveu a revisão dos procedimentos para a classificação das operações de crédito, tornando-os mais objetivos e abrangentes, bem como instituiu a constituição de provisões para perdas em base tecnicamente mais adequada. Dessa forma, a partir de 1.3.2000, além de considerar-se o prazo de inadimplência do mutuário e as garantias oferecidas, definiu-se a exigência de análise do risco potencial do tomador, por parte da instituição financeira, acompanhando os procedimentos adotados internacionalmente. Dentre as modificações introduzidas, destaca-se a classificação da carteira de crédito em nove níveis, anteriormente eram três, em ordem crescente de risco: AA, A, B, C, D, E, F, G e H.


A partir de setembro de 2007

A redução de saldos da tabela II.17 (Instituições Financeiras Não-Bancárias) foi influenciada pela transformação de sociedade de arrendamento mercantil em outra modalidade de instituição financeira não incluída nessa tabela.