Segunda Família do Real

Perguntas Frequentes

> Por que mudar as notas?

O Real está consolidado como uma moeda forte, utilizado cada vez mais nas transações cotidianas e como reserva de valor. Com o avanço das tecnologias digitais nos últimos anos, é necessário dotar as nossas cédulas de recursos gráficos e elementos antifalsificação mais modernos, capazes de continuar garantindo a segurança do dinheiro brasileiro no futuro.

> Houve aumento no volume de falsificações da Primeira Família?

Não. O volume de cédulas falsificadas da Primeira Família apreendidas no Banco Central continua estável, tendo até mesmo diminuído em relação aos anos anteriores ao lançamento das cédulas da Segunda Família. No entanto, como toda moeda forte, o Real atrai o interesse de falsários, portanto é preciso agir preventivamente para que as nossas cédulas continuem seguras e confiáveis pelos próximos anos.

> Há falsificação das cédulas da Segunda Família?

Sim. Sempre que há lançamento de novas cédulas, aparecem algumas falsificações, pois a população ainda não conhece bem as novas notas e não verifica seus elementos de segurança, o que facilita a colocação dos exemplares falsos em circulação. Essa ocorrência tende a diminuir à medida que a população passa a conhecer melhor as cédulas e a verificá-las.

> As notas da Primeira Família continuam válidas?

Sim. As notas da Primeira Família do Real continuarão valendo e serão substituídas aos poucos, à medida que forem sofrendo desgaste natural.

> As notas da Primeira Família valerão menos?

Não. As notas da Primeira Família continuarão com seu curso legal, com o mesmo valor.

> Tenho que trocar minhas notas da Primeira Família pelas da Segunda Família?

Não. Como já ocorreu com o lançamento das notas de 10, de 20, de 50 e de 100 reais da Segunda Família, as novas notas de 2 e de 5 reais entrarão em circulação por meio dos bancos comerciais, dos caixas automáticos e da rede de comércio. Não há necessidade de trocar as notas da Primeira Família pelas da Segunda Família na rede bancária, pois as duas conviverão em circulação.

> De que material são feitas as notas da Segunda Família?

A Segunda Família de cédulas do Real é totalmente impressa em papel fiduciário, conforme a Primeira.

> Será lançada a nova nota de 1 real?

Não, uma vez que, para esse valor, o Banco Central vem priorizando a emissão de moedas, que apresentam uma relação custo-benefício melhor do que a das notas, em razão de sua durabilidade.

> Quais são as principais diferenças das notas da Segunda Família em relação às anteriores?

Os novos equipamentos e insumos permitem a impressão, com maior precisão, de desenhos mais complexos, aumentando a percepção de uma impressão de qualidade superior. As notas da Segunda Família contêm elementos de segurança mais modernos, que dificultam a falsificação. Além disso, alguns elementos já presentes na Primeira Família – como a marca-d’água e o número escondido – foram redesenhados de modo a facilitar sua verificação pela população. Outra mudança importante são os tamanhos diferenciados por denominação.

> Quais são os principais elementos de segurança das novas notas de 2 e de 5 reais?

A marca-d’água, que apresenta o valor da nota e a imagem do animal; o número escondido, que aparece quando a nota é colocada na posição horizontal, na altura dos olhos; e o alto-relevo, em diversas áreas da frente das notas. Esses elementos também estão presentes nas demais notas da Segunda Família do Real.

> Por que as notas da Segunda Família têm tamanhos diferenciados?

O principal motivo é garantir a acessibilidade das pessoas com deficiência visual ao dinheiro brasileiro, oferecendo um recurso confiável para reconhecimento e diferenciação das cédulas. Além disso, a adoção de tamanhos diferenciados inibe a tentativa de falsificação por lavagem química.
Além dos tamanhos diferentes, os portadores de deficiência visual também podem contar com outro recurso para identificar os valores das notas: as marcas táteis, que são barras em alto-relevo localizadas no canto inferior direito das notas.

> Quais são as dimensões das novas notas?

2 reais – 12,1cm x 6,5cm;
5 reais – 12,8cm x 6,5cm;
10 reais – 13,5cm x 6,5cm;
20 reais – 14,2cm x 6,5cm;
50 reais – 14,9cm x 7,0cm;
100 reais – 15,6cm x 7,0cm.

> É a primeira vez que se usam tamanhos diferenciados no Brasil?

Não. A família de cédulas do Cruzeiro lançada em 1970 era formada por seis denominações, cada qual com um tamanho diferente. A menor delas media 14,7cm x 6,6cm, e a maior, 17,2cm x 7,8cm. Essa série de cédulas permaneceu em circulação por mais de dezesseis anos.

> As notas da Primeira Família são pouco seguras?

Não. As cédulas da Primeira Família do Real contêm elementos de segurança capazes de protegê-las contra as tentativas de falsificação. No entanto, é necessário agir preventivamente para incorporar no dinheiro brasileiro as atualizações tecnológicas que o manterão seguro pelos próximos anos.

> Por que foram mantidos a figura da República e os animais?

A fim de facilitar a identificação visual e diminuir o impacto da mudança para o cidadão comum, optou-se no novo projeto por manter a temática das cédulas da Primeira Família do Real. Porém, foram desenvolvidas novas gravuras, tanto da figura da República quanto da dos animais que estampam os reversos das notas.

> Por que foi alterada de vertical para horizontal a posição dos desenhos nos reversos?

A nova posição dos reversos permitiu uma diagramação com maior destaque para elementos de segurança importantes para a população, como a marca-d’água, bem como a inclusão dos elementos novos, sem que se perdesse a referência visual das atuais cédulas.

> Que aspectos das notas da Primeira Família do Real foram mantidos na Segunda Família?

Foram mantidos os valores (2, 5, 10, 20, 50 e 100 reais) e os temas (figura da República e animais da fauna brasileira). A cor predominante de cada cédula também permanece, porém, como a Segunda Família conta com recursos de produção mais avançados, há mais riqueza de cores de fundo.

> O que fazer ao suspeitar que uma nota pode ser falsa?

Após conferir os principais itens de segurança e, se possível, comparar a nota com outras de mesmo desenho, se ainda persistir suspeita quanto à autenticidade da nota, a cédula deve ser recusada. Caso tenha recebido, sem perceber, uma nota suspeita, o cidadão não deve passar a nota adiante. A falsificação é crime previsto no artigo 289 do Código Penal. A nota deve ser encaminhada para exame na rede bancária, que fornecerá o recibo de retenção.

> Quem fez o projeto/design das cédulas da Segunda Família do Real?

O projeto da Segunda Família do Real foi desenvolvido pelo Banco Central em conjunto com a Casa da Moeda do Brasil, responsável pela fabricação do dinheiro.

> Por que não foi usado plástico (polímero) na produção das notas da Segunda Família?

O Banco Central entende não haver, no momento, suficiente convicção quanto aos benefícios da substituição do papel fiduciário pelo polímero como substrato das cédulas brasileiras – em face das atuais condições de manuseio e procedimentos de tesouraria adotados no País e da possibilidade de imposição de novos custos ao emissor, ao meio bancário e à sociedade.

> Por que a numeração das notas e as assinaturas (chancelas) foram colocadas no verso das notas?

Com a ampliação das áreas dos elementos de segurança colocados na frente da nota, as assinaturas foram transferidas para o verso. Assim, a população poderá identificar com mais facilidade os elementos de segurança.

> Qual é a lógica da numeração usada nas notas?

A numeração das notas é sequencial. Não existem duas notas com o mesmo número.

> Qual é o custo das notas da Segunda Família do Real?

1ª Família (*)
(custo por milheiro de cédulas)
2ª Família (*)
(custo por milheiro de cédulas)
2 reais 172,84 175,30
5 reais 165,73 178,92
10 reais 145,81 182,29
20 reais 179,05 206,18
50 reais 180,48 238,27
100 reais 180,48 247,51
(*) Para a Primeira e a Segunda Família, foram considerados os custos apurados no ano de lançamento da respectiva cédula da Segunda Família (2010 para as notas de 50 e de 100 reais, 2012 para as de 10 e de 20 reais e 2013 para as de 2 e de 5 reais).

> As notas da Segunda Família durarão mais do que as da Primeira Família?

As notas de 10, de 20, de 50 e de 100 reais da Segunda Família devem ter duração semelhante à da Primeira Família. Já as notas de 2 e de 5 reais receberam uma camada de verniz protetor para dificultar a absorção de sujeira, conferindo-lhes mais resistência. Atualmente, a vida útil das cédulas de 2 e de 5 reais é de quatorze meses.

> Que tipo de proteção é essa?

Ela é uma camada protetora aplicada nos dois lados da nota, diminuindo a absorção de sujeira. Essa proteção é transparente, imperceptível ao tato, e não interfere no aspecto visual da cédula nem na verificação dos elementos de segurança.

> Por que essa proteção não foi aplicada nas outras cédulas da Segunda Família?

As cédulas de 2 e de 5 reais são as mais indicadas para receber essa proteção, já que, devido ao intenso manuseio, elas estão sujeitas a uma deterioração mais rápida, principalmente pela agregação de sujeira.

> As cédulas de 2 e de 5 reais serão as primeiras a utilizar esse tipo de proteção?

Essa proteção já é usada por vários países em notas de intenso manuseio (notas de valor mais baixo). As experiências desses países sinalizam um aumento na durabilidade das cédulas, em decorrência da menor absorção de sujeira. Esse aumento da vida útil varia de país para país (de 20% a 74%), dependendo dos hábitos de manuseio da população.

> Qual é a vida útil atual das cédulas de 2 e 5 reais?

Atualmente, a vida útil das cédulas de 2 reais e de 5 reais é de 14 meses.