Logomarca BCB

Espaço Cultural Banco Central no Rio de Janeiro - Exposições em 2009







Ilha dos Gatos - Rosina Villela
Ilha dos Gatos
Rosina Villela

Arte de Fazer Arte 2009
3 a 31 de dezembro

Fotografias, desenhos, esculturas, mosaicos, montagens fotográficas e pinturas de 16 artistas da Família Bacen estarão expostos de 3 a 31 de dezembro no Espaço Cultural do Banco Central do Rio de Janeiro.

Participam da mostra servidores, aposentados e terceirizados do Banco.

Os artistas são: A F Varela, Celso Eira, Christs, Fabiano de Oliveira, Fátima Luzia, Isa, João Marcelo, Laila, Monica Lisboa, Ricardo Maia, Rosina Villela, SSignoretti, Suely Furlan, Suzui Mattei, Vanessa Rosa e Yone Barroca.






Corpo sobre Tela I - Suzui Mattei
Corpo sobre Tela I
Suzui Mattei





Barcos - Diana Huidobro
Barcos
Diana Huidobro

Movimento
5 a 27 de novembro

A exposição das artistas plásticas Diana Huidobro e Marisia Salomão reúne pinturas que exprimem a sensação de "Movimento".

Os barcos de Diana nos remetem à sensação de conquistas além-mar e Marisia, com suas bicicletas coloridas, no faz viajar. Ambas extraem, através do movimento, nossas maravilhas tropicais, o azul do céu, o verde do mar, o dourado do sol, e a alegria de nosso povo.

Diana Huidobro

Nascida em Rotterdam (Holanda). Sua pintura situa-se no vasto campo do expressionismo figurativo ao expressionismo abstrato.

Diana iniciou seus estudos de pintura sob a orientação de Tereza Guimarães. Desde 1986, frequenta o atelier do artista plástico Bernadii de Andrade. De 1983 a 2009, participou de mostras e salões e obteve diversas premiações, entre elas, a Medalha de Ouro da Casa da Espanha. Sobre sua obra, Diana declara: “como artista, procuro explorar o elemento mágico da pintura, ou seja, a cor em toda a intensidade de suas nuances”.


Marisia Salomão

Natural da cidade de Rio Grande (RS), Marisia reside no Rio de Janeiro desde 1972. Iniciou sua carreira no IBA, atual Escola de Artes Visuais do Parque Laje, em 1978. Cursou História da Arte na PUC-RJ e teve como orientadores Paulo Alves, Acélio Melo, José Maria de Almeida, Armínio Pascual e Bernardii de Andrade, em técnicas variadas e abstração.

Marisia participou de exposições e salões no Brasil e no exterior, tendo recebido, entre outras, a Medalha de Ouro do VIII Salão Contemporâneo da Academia Brasileira de Belas Artes – Rio de Janeiro (RJ).





Bicicletas - Marisia Salomão
Bicicletas
Marisia Salomão




Coités - Mônica Alves
Coités
Mônica Alves

Do Caos à Ordem
30 de setembro a 30 de outubro

O tema da exposição “Do Caos à Ordem”, das artistas plásticas Mônica Alves e Tônia Parreira, surgiu, no atelier, durante uma reflexão sobre como cada uma vive o processo de criação e as diferenças em suas pinturas. E o que é Caos? E o que seria Ordem? Ou quem é o caos, quem é a ordem? É uma discussão infinitamente rica em caminhos a serem percorridos, principalmente ao se tratar da relação mãe e filha, como no caso das artistas. A exposição tem como objetivo levantar reflexões sobre o assunto e o que envolve o processo de criação. São apresentados 16 quadros em acrílica sobre tela.

Mônica Alves

Nasceu em Ribeirão Preto (SP) e vive, desde muito pequena, no Rio de Janeiro. A expressão artística e o interesse pelas artes já se manifestaram bem antes de ingressar na Escola de Belas Artes da UFRJ. Após concluir o curso, montou um atelier para se dedicar às artes decorativas. A experiência com suportes e materiais diferentes é uma constante no desdobramento da sua pintura, sendo os objetos, durante um período, o suporte de sua preferência. A primeira exposição foi no Sesc de Copacabana, onde participou da coletiva “18 novos”. Sua pintura é carregada de significação simbólica e as formas geométricas, a base de suas composições.


Tônia Parreira

Nasceu em Araraquara (SP) e vive no Rio de Janeiro desde 1965. Formou-se em Comunicação Social, mas seu encontro com a pintura mostrou-lhe outro caminho, ao qual se dedica desde 1980. Durante essa trajetória, frequentou cursos que ampliaram seu conhecimento técnico e teórico. Participou de exposições coletivas e individuais, tanto no Brasil quanto no exterior e também de diversos salões. Hoje seu trabalho está direcionado à pintura abstrata. Segundo Bernardii, nome conceituado da pintura abstrata, professor licenciado em artes visuais e orientador da artista, “na obra de Tônia Parreira o improviso expressa os mistérios e devaneios contidos na alma humana”.




Sem título - Tônia Parreira
Sem título
Tônia Parreira





Poça Quântica I - Renato Sant'ana
Poça Quântica I
Renato Sant'Ana

Projeto Mauá
1° a 25 de setembro

O Projeto Mauá, coordenado por Marcelo Frazão, é um movimento iniciado em 2002 por iniciativa de artistas plásticos que vivem e trabalham no Morro da Conceição, no Rio de Janeiro. Hoje, o projeto congrega moradores e profissionais de diversas áreas de atividade e busca divulgar parte da história da cidade e do morro e tornar acessíveis a um número maior de pessoas a arte, a ciência e a cultura.

A exposição apresenta 32 obras de oito artistas, com temáticas e técnicas diversificadas. Os artistas plásticos Osvaldo Gaia e Paulo Dallier, que já mostraram suas obras no Espaço Cultural do BC no Rio, em junho de 2008, com a exposição “Tempos”, agora retornam ao Banco Central acompanhados de Claudio Aun, Guenther Leyen, Gustavo Speridião, Marcelo Frazão, Renato Sant’Ana e Teresa Speridião. Apesar de possuírem propostas de trabalho bem diversificadas, a força da riqueza do contexto do Morro onde vivem mobilizou a união desse grupo de artistas, que realiza periodicamente exposições coletivas.

Pode-se dizer que a associação dos artistas do Projeto Mauá é fruto de um duplo engajamento: o primeiro na arte e o segundo no elo com o lugar, que envolve consciência patrimonial, admiração pela importância histórica e um estilo particular de vida da comunidade, simples e cordial.





A Gota - Claudio Aun
A Gota
Claudio Aun





Beijo - Roberto Costa
Beijo

Jardim Interno
4 a 28 de agosto

Esse é o título da mostra do artista plástico Roberto Costa composta de 14 esculturas em pedra, resina e bronze e 21 desenhos, em pastel sanguíneo, e painéis, em resina/fibra de vidro, que abrangem temas variados.

Roberto Costa

Nascido no Rio de Janeiro, em 1962, começou a desenhar na infância e não parou mais. Tem licenciatura em Artes pela PUC-RJ e cursos de especialização no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, no Parque Lage e na PUC-RJ. Já ganhou medalhas de ouro e prata no XXI Salão de Artes Plásticas do Hotel Corona em Itatiaia e no IX Salão Contemporâneo de Artes Plásticas da Academia Brasileira de Belas Artes. Em 1989, fundou em sociedade a agência de publicidade e comunicação visual ZNY, onde trabalhou por sete anos como diretor de arte e ilustrador. Em 2007, freqüentou o atelier do renomado escultor Vasco Montecchi, na Itália, e fez estágio em Carrara no Laboratório Corsanini, onde aprendeu a esculpir em mármore.





Recordação - Roberto Costa
Recordação





Potes, frutas e flores - Arlette Zacharias
Potes, frutas e flores
Arlette Zacharias

Magia da Natureza
2 a 26 de junho

A natureza é a fonte de inspiração das artistas Arlette Zacharias e Verônika Haikal, que apresentam, no Espaço Cultural do Rio de Janeiro, no período de 2 a 26 de junho, a mostra Magia da Natureza, em uma leitura expressionista, apresentada em cerca de trinta trabalhos em acrílica e óleo sobre tela, sob curadoria de Marly Diniz.

Arlette Zacharias

A carioca Arlette Zacharias cursou desenho e pintura no antigo Instituto de Belas Artes do Rio de Janeiro - hoje Escola de Artes Visuais - e estudou serigrafia no Museu de Arte Moderna - MAM. Participou de salões de arte no Rio de Janeiro, tendo sido premiada em diversos deles. Também já expôs em dezenas de coletivas e em seis mostras individuais. Possui obras em acervos nos EUA, Canadá, Alemanha, Japão, Noruega e Costa Rica. Seus temas mais abordados são paisagens, marinhas e flores e suas técnicas, óleo e acrílica sobre tela.

Verônika Haikal

A pernambucana Verônika Haikal, que vive no Rio de Janeiro há vários anos, iniciou a pintura a óleo em 1984, com o pintor A. Castelo Branco. Sua formação inclui cursos na Sociedade Brasileira de Belas Artes, no Museu Nacional de Belas Artes, no Museu de Arte Moderna - MAM e na Universidade Estácio de Sá. Foi diretora cultural do Centro Cultural da EMERJ - Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro e, atualmente, é uma das diretoras da Associação Brasileira de Desenho e Artes Visuais do Rio de Janeiro - ABD. Suas obras fazem parte de acervos em diversos países, museus e espaços culturais. Paisagens, marinhas e flores são os temas preferidos da artista, que busca na natureza a inspiração para seus trabalhos. Nesta mostra, a artista expõe obras em acrílica sobre tela.





Adão - Verônika Haikal
Adão
Verônika Haikal






Sem título
Sem título

Laços de Fé
5 a 29 de maio

Frei Ricardo Regis

A exposição “Laços de Fé”, de Frei Ricardo Regis, mostra, por meio de fotografias, instalações, objetos e esculturas de madeira, a fé do romeiro brasileiro e o laço que ele faz com os santos para alcançar suas graças. Frei Ricardo nasceu há 31 anos na cidade de Juazeiro do Norte (CE). Formado em Filosofia e Teologia, divide a vocação religiosa com a atividade artística. Foi criador e organizador da Mostra de Arte e Cultura dos Capuchinhos – MACC, em Fortaleza (CE), onde, desde 2005, atua como curador. Realizou sua primeira exposição individual em 2003 e já participou de diversos salões de arte e de exposições coletivas em todo o Brasil. Em 2006 e 2008, recebeu o primeiro lugar do júri popular no Salão de Artes Visuais de Guarulhos (SP).







Sem título
Sem título






Colheita de Girassol
Colheita de Girassol

Colheitas
2 a 30 de abril

Vagner Aniceto

O artista plástico Vagner Aniceto, carioca que reside em São Paulo desde 1978, adota em sua obra uma linha de trabalho contemporânea, que mistura o figurativo ao moderno e busca inspiração em temas cotidianos. Além das dezenas de exposições individuais e coletivas que já realizou, participou de diversos salões de arte no Brasil e no exterior, onde ganhou várias medalhas, troféus e menções honrosas. Foi organizador e membro de júri em salões de arte de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Suas pinturas em acrílica sobre tela encontram-se em diversos acervos oficiais e particulares no Brasil e no exterior.







Colheita de Algodão
Colheita de Algodão





Série Janelas - Lisboa Série Janelas - Lisboa
Edna Schonblum

De Janelas e Flores...
3 a 27 de março

O Espaço Cultural do Banco Central no Rio de Janeiro apresenta, durante o mês de março, a exposição De Janelas e Flores..., com cerca de 40 obras em óleo sobre tela das artistas Edna Schonblum e HZini e curadoria de Marly Diniz.

Edna Schonblum

Edna Schonblum nasceu no Rio de Janeiro e formou-se em arquitetura pela Universidade Santa Úrsula. Pinta profissionalmente desde 1996, já tendo feito exposições na Argentina e no Uruguai. Teve diversas obras adquiridas na França, Estados Unidos, Canadá e Inglaterra. Sua técnica sempre foi o óleo, algumas vezes variando o suporte. Os temas, na escola de arte realista, variam dos mares até as cenas urbanas, como a última série de janelas.

HZini

Heloisa Zini é gaúcha, radicada no Rio de Janeiro desde 1991. Especializada em pintura a óleo, teve sua formação nos Ateliês Bob Robledes, em Brasília, Marcolfa de Moncayo, no Equador e Hyran Ney, Carlomagno e Renato Ferrari, no Rio de Janeiro. Já expôs seus trabalhos em várias galerias de arte no Brasil e no exterior. Sua obra é bastante diversificada, tendo como técnica óleo sobre tela. No momento, a artista vem buscando inspiração na natureza, criando jardins floridos em suas telas.

 





Rosas Vermelhas
Rosas Vermelhas
HZini





Sem título Sem título
Gueth Freitas

Luz, Cores e Formas
3 a 27 de fevereiro

O Espaço Cultural do Banco Central no Rio de Janeiro inicia 2009 recebendo, pela primeira vez, as artistas Gueth Freitas e Heloisa Serra.

Gueth Freitas

Natural do Rio de Janeiro, Gueth é autodidata e pinta desde 2000. Sua técnica de pintura em nanquim é realizada sobre diversos suportes e é consequência de sua busca pelo próprio estilo. Suas composições são concêntricas, utilizando múltiplos planos geométricos onde padrões são criados e quebrados sucessivamente.

Heloisa Serra

Heloisa Serra, carioca, ainda na infância mostrou aptidão para a arte. Estudou com Pedrita Coutinho, mestra em pintura acadêmica na técnica óleo sobre tela e desenho artístico. Eclética e de natureza sensível, é fascinada por recriar a natureza em acrílica sobre tela. Participou de várias exposições tendo recebido diversos prêmios. Além de pintora, Heloisa é cantora e compositora.

 





Cattleya Leopoldii Trilabelo
Cattleya Leopoldii Trilabelo "SV"
Heloisa Serra