Logomarca BCB

Trilhas da modernidade na coleção do Banco Central

 

Exposição Trilhas da Modernidade na Coleção Banco Central

Abertura dia 26 de outubro de 2010, às 18h
Galeria de Arte do Banco Central

De terça a sexta-feira, das 10h às 17h30
Sábado e domingo, das 14h às 18h


SBS – Quadra 3 – Bloco B – 8º andar
Brasília – (61) 3414-2099


TRILHAS DA MODERNIDADE NA COLEÇÃO BANCO CENTRAL coloca em relevo grandes artistas da geração de herdeiros e continuadores do Modernismo - Aldo Bonadei, Alfredo Volpi, Clóvis Graciano, Fulvio Pennacchi , e se completa com nomes que com eles conviveram, cultivaram ou seguem a cultivar afinidades: Francisco Cuoco, Alice Brill, Antônio Augusto Marx e Gregório Gruber.

A exposição apresenta as contribuições desses criadores para a afirmação de um determinado espírito de época, o da modernidade, no campo das artes brasileiras. Nesse percurso, os trabalhos podem ser apreciados sob diferentes pontos de vista, apresentados em três módulos.

O primeiro - trilhas de consolidação da modernidade - os mostra como essenciais para a superação da linguagem acadêmica e para a afirmação da arte moderna no País.

O segundo módulo - as trilhas urbanas - traz obras que refletem a transformação brasileira, de um país predominantemente rural em um país urbano. Mostra os reflexos, na formação da imagem nacional, do processo de urbanização de nossa sociedade. A cidade e sua dinâmica surgem como temas nas pinturas de paisagem, e a metrópole emerge como elemento de experimentação visual.

Por fim, como desdobramento da mencionada afirmação moderna, as obras mostram os primeiros passos para a introdução da arte abstrata no Brasil. Alguns dos artistas apresentados, em especial Bonadei e Volpi, foram pioneiros em trabalhar sobre propostas não figurativas em nossa arte - são as trilhas para a abstração.