Logomarca BCB

Acesso e credenciamento

PASCS10 - Informações para o uso

Deve ser utilizado preferencialmente o SisbacenWeb (Applet Java), uma vez que o aplicativo PASCS10 será brevemente desativado.


I) Informações básicas

O acesso via internet é realizado com a utilização do aplicativo PASCS10, cuja função básica é proporcionar um acesso ao Sisbacen de modo seguro, por meio da cifragem de dados, tanto para a emulação de terminal IBM-3270 como para impressão de relatórios do sistema.

O aplicativo pode ser usado para o ACESSO PÚBLICO, ACESSO PESSOA FÍSICA E ACESSO INSTITUIÇÃO.

Na sua utilização deverá ser selecionado um método para o acesso inicial, que pode ser via um navegador, (Internet Explorer ou Netscape), com habilitação para uso da linguagem Java, ou através de um dos software "freeware" de emulação de terminal IBM, o QWS3270 ou o WC3270.

Para impressão das listagens do Sisbacen por meio desse programa, não precisa ser indicada uma impressora, por ocasião da solicitação da impressão no Sisbacen (normalmente usando-se a tecla F4). Após o pedido da impressão, deve ser selecionada a ação de impressão Sisbacen, de modo a ser recuperada a relação de listagens a serem eventualmente impressas.

 

Usuário público

Após a instalação do PASCS10, o usuário deverá:

- cadastrar uma identificação LOGIN, por ocasião do primeiro acesso;

- a partir daí, para cada acesso, informar o login e a senha fornecida no cadastramento.

Acesso usuário especial pessoa física e usuário especial pessoa jurídica

O usuário deve estar previamente credenciado no Sisbacen e na transação PSAA010.

Para o ACESSO USUÁRIO ESPECIAL PESSOA FÍSICA, o usário deverá informar sua identificação no Sisbacen (normalmente os nove primeiros algarismos do CPF) e a sua senha, obtidos na ocasião do credenciamento.

Para o ACESSO USUÁRIO ESPECIAL PESSOA JURÍDICA, deverão ser informados os códigos da "Instituição", "Operador" e "Senha", obtidos no credenciamento.

Esse tipo de acesso normalmente não se destina às instituições financeiras e às demais empresas autorizadas a funcionar pelo Banco Central. Estas deverão continuar utilizando os métodos anteriormente disponibilizados, por meio de de conexão dedicada ao Banco Central ou por meio de um provedor de acesso Sisbacen.

 

II) Informações sobre os aplicativos "QWS3270" e "WC3270"

A emulação do terminal do Sisbacen está sendo obtida por meio dos programas QWS3270 e WC3270, sendo o último compatível com sistemas operacionais de 64 bits. O aplicativo QWS3270 é um freeware gentilmente autorizado por seu criador - James W. Rymerson, com a aquiescência do responsável pela Informática da Queen's University - Kingston Ontario, do Canadá, sr. Stan Yagi. O uso do WC3270 está orientado na sua licença distribuída com o software, transcrita no documento Licence-WC3270.txt que é distribuído com o PASCS10.

Não existe suporte formal para a sua utilização, devido à modalidade freeware. Não obstante, é uma alternativa razoável de uso, dado o seu baixo consumo de recursos computacionais.

Qualquer outra ferramenta de emulação de terminal IBM que use o padrão TN3270 poderá ser usada, desde que acesse a porta 12000 do endereço IP 127.0.0.1 (localhost).

Além dos emuladores comerciais, também poderá ser usada a ferramenta Host on Demand da Netscape.

 

III) Características técnicas

O PASCS10 pode ser instalado com todas as versões Windows de 32 bits ou 64 bits mais recentes, tais como o Windows 2000, 2003, XP, Vista, 2008 e Windows-7.

Para que a instalação seja efetuada corretamente é melhor que o usuário que a fizer tenha poderes para alterar o arquivo de 'registry' do microcomputador. Alternativamente para usuários que não consigam fazer uma instalação ou não tenham os poderes administrativos para isto, é distribuida uma versão com arquivos compactados, a qual após ser descompactada em uma pasta local qualquer do micro, poderá ser usada para acionar o programa, prescindindo-se então de um processo formal de instalação.

Para desinstalar o programa (retirá-lo do microcomputador), deve ser usado o método próprio do ambiente Windows - a rotina Meu Computador > Painel de Controle-Adicionar > Remover Programas.

Caso o aplicativo seja acionado a partir de uma rede ligada à internet e que utilize mecanismo de firewall (proteção da rede), deve ser liberada a conexão de saída na porta 5024 do protocolo TCP aos servidores do Bacen, os quais na internet correspondem aos endereços IP 200.218.208.91 e 200.218.209.91.

 

IV) Instruções de utilização do PASCS10

 

1. Ambiente

Esse programa pode ser instalado para o acesso tanto via internet como pela rede interna do Sistema Financeiro Nacional (rede SPB).

Para acesso tanto via internet como pela rede SPB, é necessário o credenciamento do usuário Sisbacen na transação PSAA010. Para os servidores do Banco Central do Brasil, não se exige qualquer credenciamento.

 

2. Preenchimento dos campos

2.1) Tipo de emulação: indica a ferramenta que o usuário irá usar para acessar o terminal do Sisbacen, podendo ser por meio do navegador (browser da internet), ou de um dos aplicativos emuladores instalados com o PASCS10. Existe a possibilidade de se usar qualquer outro software, para o qual pode ser indicado um comando próprio, na opção de configuração do programa, ou ainda pelo acionamento fora do PASCS10, quando então deve ser escolhida a opção "não faz acionamento";

2.2) Identificação: indica o tipo de identificação do acesso. Pode ser tanto Usuário Especial Pessoal Jurídica (operadores vinculados a instituições em geral ou ao Banco Central); Usuário especial Pessoa Física, que são identificadas pelo CPF (previamente cadastrado no Sisbacen); ou, ainda, Acesso Usuário Público, onde não existe um cadastramento prévio no Sisbacen.

2.3) Ação: identifica o tipo de uso que se faz do programa, podendo ser Conexão e Emulação quando da identificação inicial do operador, ou então Impressão Sisbacen, caso se deseje a emissão de relatórios do Sisbacen (PF4 normalmente);

2.4) Instituição: o código (numérico) de identificação da instituição para o Sisbacen, com nove dígitos, sendo os cinco primeiros o código da instituição, e os quatro seguintes da dependência. No caso de servidores do Banco Central é a sigla da unidade na qual trabalha. Em algumas instituições governamentais, é uma sigla de cinco caracteres, iniciada pela letra "E"; 

2.5) Operador: É uma identificação atribuída ao operador no Sisbacen. Para pessoas físicas, são os primeiros nove dígitos do CPF. Para pessoas jurídicas, deverá ser utilizado um conjunto de no mínimo três e de no máximo dez caracteres, onde os três primeiros deverão ser alfabéticos e os demais, alfa numéricos.

2.6) Senha atual: é a última senha utilizada para acesso ao Sisbacen, ou a que foi imputada para efeito de cadastramento;

2.7) Nova senha: solicitada apenas na opção de troca de senha no Sisbacen (menu opções/atualiza a senha do Sisbacen) ou no caso de a senha atual estar expirada, o que obriga a sua troca;

2.8) Confirmação: deve ser repetida a nova senha para não ocorrerem eventuais erros de digitação;

2.9) Confirma: deve ser acionada após o preenchimento dos demais campos para se estabelecer contato com o servidor localizado no Banco Central, que irá estabelecer o túnel criptografado (rede privada virtual) a fim de permitir os acessos. Seu acionamento é também obtido pelo uso da tecla ENTER;

2.10) Encerra: deve ser acionada para encerrar o Programa. Em seu lugar pode também ser usada a tecla 'Esc'.

  

3. Outras opções

3.1) Menu Arquivo/Exibe o arquivo Histórico: é acionado o aplicativo para edição de textos no Windows (notepad.exe), pelo qual é exibida a relação dos eventos registrados pelas diversas rotinas chamadas, a qual fica gravada no arquivo "PASCS10.log";

3.2) Menu Arquivo/Elimina o arquivo Histórico: destina-se a zerar o arquivo de LOG (Histórico);

3.3) Menu Opções/Configuração do programa: destina-se a alterar parâmetros de instalação e operação do programa. Deve ser utilizada somente sob a orientação técnica do Departamento de Informática do Banco Central;

3.4) Menu Opções/Volta configuração original: restabelece os valores padrão da configuração, quando da instalação do programa;

3.5) Menu Opções/Elimina arquivos temporários: apaga do disco rígido todos os arquivos que são gravados pelo programa quando da execução de sua operação normal, sendo recomendável o uso para desinstalação do programa;

3.6) Menu Opções/Atualiza versão do programa: é acionada de forma automática, por opção do usuário, ao final da primeira conexão ao servidor do Bacen, quando é comparada a versão do programa com a registrada pelos equipamentos servidores do Banco Central e se apresentar defasagem. Quando acionada explicitamente, são recebidos os arquivos atualizados, independentemente da defasagem;

3.7) Menu Opções/Atualiza a senha do Sisbacen: permite a alteração da senha usada para o Sisbacen. Para usuários com senha expirada, é chamada automaticamente;

3.8) Menu Opções/Atualiza arquivo parâmetros: essa opção é acionada automaticamente, logo após o logon, a intervalos de 2 (dois) dias corridos, para atualização dos parâmetros internos, só sendo necessária caso exista indicação específica de técnicos do Banco;

3.9) Menu Opções/Aciona emulação no navegador: permite o acionamento da página de opções de conexão com o Sisbacen, caso ela tenha sido inadvertidamente fechada no uso do navegador ou ainda quando tenha sido utilizado o acionamento da emulação pelo QWS3270 ou WC3270;

3.10) Menu Opções/Aciona o aplicativo emulador: permite o acionamento de uma segunda conexão de emulação utilizando o softwares QWS3270 ou WC3270. Essa opção não deve ser utilizada mais de uma vez na mesma execução do programa;

3.11) Menu Opções/Equipe de Suporte de TI do Bacen: só é acessável por servidores do Banco Central que estão credenciados na transação PSAA012 e que tenham efetuado o logon, isto é, que tenham sido assim identificados logo após a conexão inicial;

3.12) Menu Opções/Converte pontos para vírgulas: usada para ativar ou inibir a substituição de caracteres ponto decimal usados para os números (".00" ou ".nn"), o que é particularmente útil quando se utiliza o QWS3270 ou o WC3270. O tratamento padrão é a substituição. Não obstante, para algumas transações do Sisbacen, a conversão não deve ser efetuada.

 

4. Informações adicionais

Ao início de cada conexão, a identificação é checada e no caso de erros (senhas vencidas ou divergentes), é inviabilizado qualquer acesso. p>

Caso indicada a rotina de impressão Sisbacen, a cada novo ENTER haverá a verificação de eventuais listagens geradas para a impressão. 

Caso não seja utilizada a conexão por um prazo superior a quinze minutos as eventuais conexões serão desfeitas. Nesse caso, o PASCS10 permanece ativo, devendo ser teclado um ENTER, de modo a se habilitarem novas conexões. Caso esse tempo seja superior a vinte minutos, deve-se entrar novamente a senha do operador.

O aplicativo utiliza criptografia padrão RSA, com chave de 1024 bits para encriptar os dados principais/sensíveis, e mais uma chave simétrica de 64 bits gerada aleatoriamente para cada nova conexão (acesso).

A opção de configuração só deve ser usada caso exista uma recomendação técnica explícita do Banco Central, podendo o seu uso indevido inviabilizar o acesso pela internet.

 

V) Download

Os componentes dos produtos estão contidos nos arquivos a seguir relacionados, que devem ser transferidos por meio de operação de download, comandada a partir da seleção da opção:

 PASCS10-1601.exe - versão 1.6.0.1, de 24/07/2013

 PASCS10-1601.zip - versão 1.6.0.1, de 24/07/2013