Logomarca BCB

Introdução

 
Entrada da sala Ouro

São 64 pepitas de ouro pertencentes ao acervo histórico do Museu de Valores do Banco Central. Essas pepitas são de grande valor histórico. Algumas delas estão expostas na Sala Ouro do Museu, onde se procurou homenagear os milhares de brasileiros que participaram da saga contemporânea escrita pelos garimpeiros na década de 80, revirando a terra em Serra Pelada, Cumarú e Maracaçumé, entre muitos outros garimpos.

Esses garimpeiros encontraram as três maiores pepitas de ouro do mundo que ainda são preservadas em seu estado natural. Na época em que foram adquiridas pelo Banco Central, pesavam juntas 198,45 quilos brutos. A quantidade de ouro contida nessas pepitas é um pouco menor, pois a elas estão agregados os chamados contaminantes do ouro, como a prata, a platina, o paládio, o ferro, além de pequena quantidade de terra, argila e areia que ficam impregnados na peça, associado à umidade natural que, com o tempo, se evapora. Essas três pepitas encontradas no Brasil são únicas em todo o planeta.





Bibliografia:
  • Ouro, sua história, seus encantos e seu valor
    Banco do Brasil - 1989
  • A redescoberta do ouro
    Anoro - 1995
  • O ciclo do ouro
    Banco Central do Brasil - 1980